quinta-feira, 12 de julho de 2018

, ,

RÚSSIA - Guia Completo da Transiberiana


Se você não quiser ler pode assistir em vídeo no youtube, agora se não tiver como assistir agora aproveite para saber tudo sobre a viagem de trem mais famosa do mundo, a transiberiana na Rússia, embarque comigo e boa viagem.

O QUE É A TRANSIBERIANA
São algumas linhas de trem que cruzam a Rússia, ou até a China passando pela Mongólia, saindo de Moscou, o trajeto que fiz foi o tradicional. Vladivostok até Moscou, mas segui até São Petersburgo ao norte e terminei ainda em Kaliningrado, só que de avião. Os viajantes normalmente não fazem até Vladivostok e seguem até a China.

QUANTO TEMPO LEVA PARA CRUZAR O PAÍS
Praticamente 7 dias sem parar em nenhuma cidade, mas a graça da coisa é justamente ir conhecendo os lugares. Exatamente 6 dias e 16 horas em Moscou e Vladivostok.

QUE ÉPOCA DO ANO IR
Geralmente quando você puder ir, mas inverno é lazarento de frio. Entrei no final do inverno e ainda fazia um frio do cão, cheguei perto dos -30 em Chita.
No inverno claro tudo fica mais bonito na ferrovia e feio nas cidades, no verão é tudo ao contrário. O preço também é mais caro no verão e a chance de você ficar sem passagem é grande, mas de passagem é só continuar lendo este artigo.
Gostei de viajar entre inicio de março até final de abril, não encontrei nenhum turista, no máximo um pessoal da Mongólia que nem se deve considerar turista na Sibéria.

VOCÊ FEZ DIRETO
Não, parei em 13 cidades ao longo de 58 dias até terminar em Kaliningrado, o último trecho fiz de avião por várias questões, a mais importante foi tempo.

QUE CIDADES PARAR
Tudo vai depender do tempo que você tiver e o que vai querer ver, por exemplo passei em 12 cidades durante 54 dias viajando entre Vladivostok e São Petersburgo, acabei seguindo além de Moscou e terminei para falar a verdade de Kaliningrado, onde fui de avião pois estava praticamente o mesmo preço, além das 2 imigrações.
O pessoal geralmente escolhe lugares como São Petersburgo por ser a cidade mais bonita do país, vão para Moscou, Yekaterinburg, Irkutsk onde fica o lago Baikal, Ulan-Ude que é onde se pode seguir para a Mongólia e China. Após Ulan-Ude a sugestão é terminar em Vladivostok que é o ponto final da viagem no km 9288, mas este último trecho é bem longo com 65 horas de viagem, quem sabe uma para em Khabarovsk que fica "apenas" 42 horas de Chita, cidade após Ulan-Ude.Não vou falar de Mongólia pois não fiz, portanto não tenho conhecimento para opinião, nas pesquisas que fiz é simples, basta embarcar de trem ou ônibus em Ulan-Ude.
 

QUANTO CUSTA
Pode sair $99 dólares o trem “direto” até Vladivostok na terceira classe ou $308 na segunda classe ou centenas de milhares de dólares se você optar por primeira classe por exemplo (nem existe por motivos óbvios), mas vou falar no final do post os meus custos, então continua lendo. Quanto mais paradas mais caro fica.

DÁ PARA IR DESCENDO NOS LUGARES
Muita gente me faz esta pergunta, a resposta é NÃO e NÃO!!! A rota transiberiana é apenas o nome da rota e a passagem é comprada tudo separada, justamente para não ter problemas no meio do caminho, nunca funcionaria um bilhete assim.O máximo que você vai fazer é descer para esticar as pernas e ir no mercadinho em algumas paradas maiores, portanto NÃO existe uma passagem chamada transiberiana.

FALANDO SOBRE AS PASSAGENS
Uma pergunta importante é sobre comprar passagem com antecedência ou não, a resposta é depende, no verão com toda certeza umas 2 SEMANAS é a melhor pedida. Na baixa temporada se comprar até na hora é possível conseguir bons lugares. O truque é o seguinte, de Irkutsk até Moscou os lugares mais baratos são aqueles perto do banheiro, nas camas de cima. Só que viajar longos trajetos na cama superior é literalmente uma porcaria, pois o espaço é menor para cima, você não consegue sentar, não tem mesa, mas viajei alguns trechos assim.
Enfim comprar antes ou não vai depender do seu roteiro, no meu caso só comprei trechos com 2 ou 3 dias de antecedência justamente entre Irkutsk até São Petersburgo, não foram bons lugares mas eu precisava economizar dinheiro. De Vladivostok até Irkutsk comprei 1 dia antes e consegui pagar barato em bons lugares, entrei no inverno.
As camas de baixo sempre vão girar perto dos 40% mais caro, é muita grana se você for um  mochileiro pão duro, vai chegar do mesmo jeito é claro, se você não liga muito para conforto.
Para comprar utilize o site oficial da empresa nacional de trem, link aqui, lá você evita tentar se comunicar com a atendente que em 99,99% dos casos não falam inglês, NUNCA compre em site de agências que cobram taxas abusivas e pelo jeito muita gente compra, senão elas não existiriam.
Minha dica é utilizar um cartão pré pago, não tive nenhum problema nos 12 trechos que fiz. Cartão de crédito pode ser um saco pois pode pedir mais confirmações, mas isto depende de cada banco é claro.
Se você for mais hardcore pode comprar no clichê, mas recomendo um pouco de conhecimento no Russo, tive meus problemas em 2014. Aqui a dica é entrar no site e escrever todas as informações em RUSSO POR FAVOR, mostre no balcão e com sorte a tiazinha não vai lhe perguntar nada.

QUAL É UM BOM LUGAR NO TREM
Aqui só falo da terceira classe, minha sugestão são camas baixas no meio do vagão, isto tenta evitar que as pessoas batam em você quando estiver dormindo, acontece que no fundo fica o banheiro e na frente a água quente, alguns vagões tem banheiro na frente mas é bem raro. Basta conferir no site o mapa de assento, claro que eles são vendidos primeiro, especialmente na alta temporada.

FUSO HORÁRIO
TODOS OS TRENS na Rússia funcionam no horário do Moscou, por um motivo óbvio, são 10 fusos diferentes no país, por exemplo se você comprar um trem que sai as 10 am de Vladivostok, na verdade ele vai parte 5 pm, até onde eu sei não tem horário de verão, e este horário , é obrigação sua saber o fuso horário. Na voucher da internet tem o fuso horário corrigido. Todos os relógios na estação esta no horário de Moscou, sempre.

COMO FAZ PARA IMPRIMIR A PASSAGEM
Sugiro sempre imprimir sua passagem, pode mostrar no balcão ou utilizar o token automático, a maioria tem em inglês, é bem fácil. Pode levar o voucher no celular caso não esteja em cima da hora, sem problemas.

LENDO A PASSAGEM
Até em 2018 quando fiz a viagem as passagens não estavam em ingês, no máximo o seu nome, mas o que realmente importa são o número do trem, vagão, assento e horário de saída tanto no fuso horário de Moscou e da cidade de partida, nesta passagem abaixo foi de Novosibirsk para Omsk, a primeira vez é complica mas basta seguir uma lógica para entender.

COMO EMBARCAR
Cidades como Moscou e São Petersburgo tem várias estações, aqui uma dica importante pois em Moscou em 9 estações de trem, sendo 3 juntas e por azar tem um metro que fica do outro lado da cidade com o mesmo nome da passagem, mas não nada a ver. São elas, yaroslavsky, Leningradsky, Kazansky, os trem para São Petersburgo partem normalmente da Kazansky e o metro que tem lá é a Komsomolskaya das linhas 1 e 5.
Considerando que você achou a estação, olhe o número do trem e vá para a plataforma correta, olhe também o número do vagão, mostre seu passaporte e você estará dentro. A primeira vez é confuso para entender o sistema, depois fica barbada.
Logo que o trem parte a comissária do vagão vai lhe dar um jogo de cama e você mesmo vai fazer e desmontar a sua cama no final, obviamente pois na Rússia cada um cuida da própria vida.

TEM BAGAGEIRO NO TREM
Tem um espaço limitado, aquela mala gigante pode deixar em casa, uma mochila até uns 60L considero um tamanho bom, mas viajo com uma de 30L e uma menor de 20L para os eletrônicos, alguns vagões você coloca embaixo da sua cama. Se dormir na parte de cima tem espaço acima da sua cama. No geral considero bem seguro, a Rússia em si é segura para viajar, assaltos é coisa rara, mas não de bobeira é claro.

O TREM É BOM
Olha, tem uma cama com lençol limpo, travesseiro e cobertor e todas as classes. Eu viajei somente de terceira classe conhecida com platzkart, tem 6 camas no mesmo espaço aberto, assistindo ao vídeo no youtube tem mais detalhes do que aqui no post.
Se você tem uma verba sobrando pode optar pela Kupe que é a segunda classe ou a primeira classe, tudo vai depende de que tipo de experiência você quer, se a resposta for uma típica russa Platzkart com toda certeza, além de ser a mais econômica você vai sentir como os Russos viajam.

O QUE TEM NO TREM (3º CLASSE)
Só vou falar o que conheço, além da sua cama, tem água quente o tempo inteiro para fazer um miojo, purê instantâneo ou claro aquele chá maroto. Além de um banheiro que fica fechado durante as paradas nas estações, por motivos simples, tudo cai no trilho, ou seja ninguém quer ficar cheirando merda na estação, outro é justamente ninguém se esconder por lá.
Tomadas tem aos montes nos vagões novos, os antigos se tiver é uma só e fica perto do banheiro, não espere carregar seu telefone durante a viagem, powerbank é a dica.

TEM RESTAURANTE
Sim, caríssimo. Compre comida fora e leve na sua viagem, não espere encontrar micro-ondas para esquentar é claro. Na parte frontal do vagão tem uma lista com as paradas e o tempo em cada estação, ali é o momento para sair e comprar alguma coisa.
Dica importante, algumas paradas são 10, 15 minutos são suficientes para sair e comprar algo até mesmo fora da estação, pode sair e voltar dentro daquele prazo, algumas paradas passam dos 70 minutos, somente nas cidades mais importantes, lembrando que os trens são mega pontuais.

TOMAR BANHO, FAZ COMO
Não faz, primeiro que ninguém vai morrer se ficar 40h se tomar banho.

FAZER NÚMERO 2, DÁ
Olhe, acredite mas em 166 horas viajando não fiz dentro do trem e sim no meio do nada na Sibéria, a dica nojenta é tentar cagar antes de viajar, mas tem horas que não dá, nos vagões antigos pode cagar tranquilo afinal de contas a descarga é um buraco que o negócio cai nos trilhos, lembre-se que nas cidades a porta fica trancada.

TEM WI-FI NO TREM
Não mesmo, se a descarga você aperta com o pé e abre um buraco no chão, não vai ter tecnologia para isto, mas a internet móvel funciona em alguns pontos da ferrovia. O simcard custa menos de $6 dólares no país, mas é preciso ir trocando conforme vai viajando, a Rússia é muito grande.

AS VIAGENS SÃO LONGAS
Depende da sua rota eu fiz poucas viagens longas, 25, 32 e 42 horas, a mais longa entre Khabarovsk e Chita, cidades que normalmente ninguém para, mas estava com tempo, se você quiser fazer em um mês pode preparar a bunda que trechos de 40, 50 horas viajando serão frequentes.

O QUE FAZER NO TREM
Dormir, comer, assistir filmes, conversar se você fala russo ou por sorte achar alguém que fale inglês (pouco provável na platzkart), ler, olhar a paisagem e relaxar é claro. Venci as 166 horas bem melhor do que esperava, de verdade.

E SE EU PASSAR DA MINHA ESTAÇÃO
Acredite, mas isto não vai acontecer, na entrada a comissária vai reter sua passagem (mas da para usar e-voucher também), 30 minutos antes da sua chegada a tiazinha vai ti acordar ou avisar que está chegando, também lhe entregando a passagem de volta. Mais uma vez por motivos óbvios, as pessoas dormem numa boa, sem se preocupar se estão chegando ou não, ponto positivo para os trens Russos, isto não acontece no mundo fora nos antigos países soviéticos.

SE NINGUÉM FALA INGLÊS, FAZ COMO
Mais uma vez não faz, dependendo da pessoa até vale a pena tentar se comunicar, mas encontrei algumas velhas curiosas que não dei moral alguma. Com as comissárias zero inglês, mas com gestos consegui meu copo para preparar um chá, claro que tenho uma noção bem básica do Russo o que me ajudou em alguns momentos. Abra um sorriso e tente se expressar em Russos, eles admiram bastante os estrangeiros que tentam falar o seu complicado idioma.

QUANTO EU GASTEI
Cruzei a Rússia em 58 dias incluindo um voo para Kaliningrado, mas o trecho de trem entre Vladivostok até São Petersburgo durou 166 horas, gastei $245 dólares sempre viajando de terceira classe nos lugares mais baratos, descartando Kaliningrado foram 54 dias , somando os custos por cidade ficou no total de $556 dólares.
Com alimentação gastei $265
dólares, hospedagem $5 dólares (sim acredite pois fiquei em couchsurfing), passeios $13 dólares (os melhores estão na parte ocidental já que tinha visto em 2014) e $40 dólares em transporte interno dentro da cidades. Foi um valor muito baixo, na média de $210,91 dólares por dia, considere possível viajar com este valor se você for mochileiro apenas. Eu poderia ter gasto muito menos se ficasse por exemplo apenas 1 mês na Rússia, mas para mim é praticamente impossível aproveitar bem esta jornada. Algumas cidades como Yekaterinburg fiquei 9 dias, o que clara baixa e muito a média diária. Acredito que com uns $440 dólares é possível viajar 30 dias cruzando o país com tudo (menos hospedagem e atrações turísticas), o Kremlin de moscou é caro, cerca de $20 dólares.

VALE A PENA?
Fazer a transiberiana não é nenhum conto de fadas é claro, mas foi uma enorme satisfação conhecer boa parte do país, especialmente pois não muito tempo atrás eu achava meio que impossível. Uma coisa necessária para terminar este desafio é paciência e ter tempo suficiente, os Russos são pessoas muito legais mesmo,  superou a minha expectativa nesta minha segunda viagem no país.
Resumindo em dicas gerais pegue um voo para Moscou ou Vladivostok e comece a sua viagem, compre suas passagens trecho a trecho e boa viagem, lembre-se de quem faz a sua viagem é você, portanto criei este guia praticamente completo para não restar muitas dúvidas sobre a transiberiana, ainda não é recomendada para viajantes novatos ou com frescuras. Se ainda tem algum dúvida utlize o campo de comentários.
Trem em Vladivostok foi o primeiro da jornada até São Petersburgo
Estação em Khabarovsk partindo para Chita
Composição seguindo para Ulan-Ude
Paisagem próximo ao congelado lago Baikal
Último trem após 9553 km
🔴 REDES SOCIAIS 🔴
✅ FACEBOOK - https://goo.gl/ImCxnH
✅ GOOGLE PLUS - https://goo.gl/VWWAIH
✅ INSTAGRAM - https://goo.gl/Dhr0To

✅ YOUTUBE - https://goo.gl/t7psfL
#russia #rossiya #trem #transiberiano #transiberiana ferrovia #transiberiana viagem
Compartilhe:  

0 comentários:

Postar um comentário